quinta-feira, 30 de junho de 2011

Se alguém quiser me seguir

Fico impressionado com o modo como os evangélicos e simpatizantes do evangelho se comportam. Nos dias atuais, vivemos uma tão grande 'liberação' das regras, ou seja, uma falta de regras. Contemplo um país onde para não se punir, aprovam as coisas consideradas imorais ou até mesmo as erradas. Tenho ouvido falar nos noticiários sobre a liberação de drogas, como a maconha, a discriminalização do aborto, dentre outras coisas. Mas não é esse o ponto e, sim a 'imitação' de certos comportamentos e a influência dessa inversão de valores e quebra de princípios dentro do que chamamos 'evangelho'. Por certo, são poucos os que vivem o evangelho genuíno de Yeshua. Lembro-me das Palavras do Mestre ao dizer: "se alguém quiser me seguir, negue-se a si mesmo...' Mt. 16:24
Ao contrário do que o Messias disse, as pessoas hoje em dia, dentro de uma igreja, querem seguir a Yeshua, mas indo por caminhos onde Ele não está. Como você pode seguir alguém se tomar direção contrária? Quantos evangélicos e simpatizantes do evangelho acham que Yeshua está se agradando do modo como vivem? Ficam banalizando as Palavras do Messias, tornando lixo as Palavras de Vida que foram ditas por Ele. Escarnecendo o poder sobre a morte que foi liberado na cruz. O texto continua "...tome a sua cruz...". A cruz para Yeshua foi um lugar de renúncia, onde Ele renunciou o seu próprio querer para fazer a vontade do Pai, que o enviou (Jo. 4:34, Mt. 25:42). Ai vem os chamados evangélicos, que se dizem cristãos (do gr. cristiano - diminutivo de cristos) e querem bagunçar o coreto, dizendo seguir a Yeshua À sua própria maneira. Onde está o negar a si mesmo? Onde está o "guardar as minhas palavras"? Onde está o "obedecer a tudo que ensinei"?
O que mais acontece nos dias de hoje é que tem-se deixado de ser sal e luz, ou melhor, de salgar e iluminar. Bom sal que não salga e lâmpada que não ilumina, só serve para ser lançada fora (Mt. 5:13). Então o que deve ser feito?
Queridos, fixem os olhos em Yeshua! Façam o que ele mandou, não o que seu próprio desejo quer. Não use conhecimento intelectual, moral ou racional para justificar sua falta de crença ou de temor pela Palavra. Façam conforme a instrução do Apóstolo Paulo: renove a mente e experimente a boa, perfeita e agradável vontade do Pai.

Quero que estejamos todos atentos que ir à igreja, seja ela qual for, não salva ninguém. Religião alguma, seja qual for, não salva ninguém. Yeshua disse: "se o filho os libertar, de fato estarão livres" (Jo. 8:36); atos religiosos não salvam ninguém. Todas essas coisas Yeshua alertou os discípulos e os religiosos de sua época...
A salvação está estendida a todos os homens. Confie nas Palavras de Yeshua, renuncie-se a si mesmo! "Perca" a sua vida que você irá na verdade, ganhá-la;

...e não dêem atenção a lendas judaicas nem a mandamentos de homens que rejeitam a verdade...Eles afirmam que conhecem a Deus, mas por seus atos o negam; são detestáveis, desobedientes e desqualificados para qualquer boa obra.(Tit 1:14, 16)

"Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus.(Mat 7:21)

"Por que vocês me chamam ‘Senhor, Senhor’ e não fazem o que eu digo? Lc. 6:46

Esclarecendo oração no Espírito


Dou graças a Deus por falar em línguas mais do que todos vocês. Todavia, na igreja prefiro falar cinco palavras compreensíveis para instruir os outros a falar dez mil palavras em língua. (1Co 14:18-19)

Antes de entrar propriamente no assunto dos benefícios da oração em outras línguas, faz-se necessário ressaltar que quando falo sobre este assunto, estou me referindo ao uso das línguas na vida devocional, ou seja, em momentos particulares de oração. E não na parte pública das línguas, ou no Ministério público das línguas que é exercido na igreja. É importante ressaltar que o Apóstolo Paulo, na carta aos Corintos, não estava repreendendo o falar em línguas, como muitos dizem, mas sim, exaltando a questão dessa utilização pública, ao dizer que ela edifica a própria pessoa, por isso, quando em uma reunião, deveria se conter, a menos que houvesse intérprete. Se assim fosse, tanto Paulo quanto outros apóstolos estariam sendo controversos, por dizer que falavam em língua mais que os outros e por incitar que oremos em línguas constantemente.

É exatamente isto que Paulo está dizendo nos versículos de 18 e 19 de 1 Coríntios 14. Na Igreja, ele preferia falar mais em seu próprio idioma, porém em sua vida diária e devocional, Paulo tinha o hábito de orar muito em outras línguas.

Este tipo de oração não é apenas a evidência inicial do batismo no Espírito Santo, tão pouco se deve usufruir dessa bênção, somente em reuniões públicas quando a unção está em grande manifestação.

Existem diversos benefícios em orar em outras línguas, portanto, esta prática deveria ser incluída em nossa vida devocional diária, assim como era na vida de Paulo e, sem dúvida na do próprio Yeshua (Jesus). Yeshua vivia constantemente se ‘separando’ para oração. Que tipo de oração você julga que ele estivesse fazendo? Afinal, Yeshua era cheio do Espírito Santo e Ele mesmo já havia declarado que todo relacionamento com o Pai se dava no âmbito espiritual. E entenda que tudo o que Paulo praticava ele mesmo declarou que “havia recebido do Senhor e nos entregado” 1 Cor. 11:23

Vejamos, adiante um pouco do que a Palavra tem a dizer sobre o assunto aqui abordado:

1- Fala direto a Deus, segredos Divinos lhe são revelados

Pois quem fala em língua não fala aos homens, mas a Deus. De fato, ninguém o entende; em espírito fala mistérios. (1Co 14:2)


Gostaria que você atentasse para o final deste versículo que diz: “Em espírito fala mistérios” ou segredos. Que mistérios seriam estes? Será que existe algo que para Deus pode ser considerado um mistério?

Vejamos outro texto da Palavra de Deus para compreendermos melhor, aquilo que Paulo estava querendo dizer:

Todavia, como está escrito: "Olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam"; mas Deus o revelou a nós por meio do Espírito. O Espírito sonda todas as coisas, até mesmo as coisas mais profundas de Deus. Pois, quem dentre os homens conhece as coisas do homem, a não ser o espírito do homem que nele está? Da mesma forma, ninguém conhece as coisas de Deus, a não ser o Espírito de Deus. Nós, porém, não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito procedente de Deus, para que entendamos as coisas que Deus nos tem dado gratuitamente. Delas também falamos, não com palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas com palavras ensinadas pelo Espírito, interpretando verdades espirituais para os que são espirituais. Quem não tem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus, pois lhe são loucura; e não é capaz de entendê-las, porque elas são discernidas espiritualmente. Mas quem é espiritual discerne todas as coisas, e ele mesmo por ninguém é discernido; pois
(1Co 2:9-15)

Vemos que o Espírito Santo nos foi dado, para que venhamos a conhecer o que o olho não viu, o ouvido não ouviu e jamais penetrou no coração humano, isto seria o tal mistério no qual refere-se Paulo. Com isto quero dizer que Deus não é um mistério e nem misterioso. Tenho o costume de dizer que somos nós muitas vezes quem estamos misteriosos com Ele.

Ao orar em outras línguas, podemos ter a certeza de que o Espírito de Deus comunicará ao nosso coração os “Segredos Divinos”, revelando Seus Planos e propósitos para nós. Jesus disse acerca do Espírito Santo:

Mas quando o Espírito da verdade vier, ele os guiará a toda a verdade. Não falará de si mesmo; falará apenas o que ouvir, e lhes anunciará o que está por vir. (Joã 16:13)

Perceba que uma das funções do Espírito Santo, é nos mostrar aquilo que há de vir. O Cristão sensível ao Espírito, que mantêm a prática da oração em outras línguas, nunca será pego de surpresa, pois o Espírito Santo lhe anunciará o que está por vir.

2- Edifica- se a si mesmo

Quem fala em língua a si mesmo se edifica, mas quem profetiza edifica a igreja. (1Co 14:4)

Edificar (οἰκοδομέω) é: Construir, confirmar, fundar, estabelecer. Você constrói em seu espírito, bases fortes e sólidas quando ora em outras línguas. Alguns estudiosos dizem que existe uma palavra que seria bem melhor traduzida neste texto, do que a palavra “Edificar”, esta palavra significa “carregar”. Pensando nisto, podemos entender este texto da seguinte maneira: O que fala em outra língua, “carrega-se” a si mesmo.

Vamos tomar como exemplo um celular, que para funcionar bem sua bateria precisa estar carregada, pois quando está descarregando, é difícil até mesmo estabelecer uma boa comunicação com quem está do outro lado da linha. Se você deseja ter uma comunicação eficaz e manter a sensibilidade espiritual, recarregue “sua bateria”, ou seja, mantenha uma vida de oração em outras línguas. Lembre-se de que você é um espírito, não essa carne onde seu espírito habita. Então você precisa edificar e alimentar constantemente o que é eterno, não somente o que é perecível. O que vemos normalmente é o contrário.

Esta prática também edifica a nossa fé, já que esta vem do nosso espírito:
Edifiquem-se, porém, amados, na santíssima fé que vocês têm, orando no Espírito Santo. (Jud 1:20)

É importante ressaltar que a prática da oração em línguas não gera fé em nosso coração, pois, a Bíblia diz que a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus (Romanos 10:17). Mas essa prática solidifica, edifica, mantém forte e vida a santíssima fé. Oração em outras línguas edifica nossa fé, tornando-a forte e com bases firmes e sólidas. Além disto, quando oramos em outras línguas evitamos que incredulidade saia da nossa boca. Um exemplo disto é quando circunstâncias tentam pressionar forçando-nos a ir para um estado de incredulidade. Neste momento, se estivermos orando em outras línguas, textos da Palavra de Deus que prometem a vitória sobre aquela determinada situação, saltarão do nosso coração pelo Espírito de Deus. Desta forma, poderemos caminhar seguros, mantendo o foco naquilo que Deus tem prometido em Sua Palavra.

3- Perfeita intercessão:

Da mesma forma o Espírito nos ajuda em nossa fraqueza, pois não sabemos como orar, mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações conhece a intenção do Espírito, porque o Espírito intercede pelos santos de acordo com a vontade de Deus. (Rom 8:26-27)

Gemidos inexprimíveis significam sons que não podem ser identificados ou traduzidos em linguagem humana. Inexpremível significa algo que não se pode expressar, que não dá para trazer à tona, ao entendimento. Às vezes ao interceder não temos detalhes do assunto, não temos todos os dados, porém a Bíblia diz que o Espírito Santo nos ajuda. Isto é, Ele não faz o trabalho em nosso lugar, porém pega junto conosco, ao tomarmos a iniciativa por nós mesmos. Ex: Algumas vezes o Espírito Santo pode lhe impulsionar a interceder por alguém, por uma situação, ou até mesmo por uma Nação. Neste caso, ore em outras línguas e pare apenas quando surgir de dentro do seu espírito uma nota ou um sinal de vitória, indicando que houve êxito em sua oração e esta surtiu o efeito esperado.

4- Traz refrigério:

Pois bem, com lábios trôpegos e língua estranha Deus falará a este povo, ao qual dissera: "Este é o lugar de descanso. Deixem descansar o exausto. Este é o lugar de repouso! " Mas eles não quiseram ouvir. (Isa 28:11-12)

A oração em outras línguas, também nos traz um benefício maravilhoso, que é o de encontrarmos descanso e refrigério em Deus. Muitas vezes, quando temos de tomar decisões difíceis, ou quando uma circunstância nos advém, a nossa alma tem a tendência de se preocupar e fazer uma série de indagações. Quando isto acontece, temos de tomar atitudes, pois se nada for feito pode gerar problemas como: depressão, insônia, ansiedade etc. Porém, em Deus, podemos encontrar escape para esta situação, a prática da oração em outras línguas aquieta a alma, isto porque esta linguagem é proveniente de nosso espírito em sintonia com o Espírito de Deus. Assim sendo, é como se nosso espírito estivesse se “impondo” contra todas as preocupações da alma. Se conservarmos esta prática da oração em línguas e nos recusarmos a atentar para o que a nossa alma está dizendo, seremos levados para um outro nível de paz, tranqüilidade e refrigério que Cristo nos deixou e que já está dentro de nós, como um dos aspectos do fruto do espírito (João 14:27/ Gálatas 5:22). Hebreus 4:9-11 nos mostra que é vontade de Deus que entremos em seu descanso. Entramos neste lugar pela fé e mantendo a prática da oração em línguas.

5- Dá bem as graças:

“Porque realmente tu dás bem as graças, mas o outro não é edificado.” 1 Corintios 14:17
A cada novo dia, experimentamos de muitos benefícios do Senhor. São estes: Livramentos, provisão, saúde, etc. Nossas palavras por maiores e mais numerosas que possam ser, são limitadas para agradecer ao Senhor de forma devida. Porém, ao orarmos em outras línguas o agradecemos de forma perfeita e eficaz. É importante ressaltar que o desejo de Deus é que tenhamos uma vida abundante em ações de Graças (2 Coríntios 4:15).

6- Cânticos espirituais

Pois, se oro em língua, meu espírito ora, mas a minha mente fica infrutífera. Então, que farei? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento. (1Co 14:14-15)

A igreja e especialmente os músicos e Ministros de louvor e adoração, deveriam ter este hábito em suas vidas. Muitas vezes, queremos apenas cantar canções com a mente, canções que estão em evidência na mídia evangélica. Paulo estava dizendo à igreja, que existem benefícios em se cantar com a mente, disto sabemos, pois temos experimentado destes (desde que as canções estejam em linha com a Palavra de Deus). Porém, podemos e devemos cantar ao Senhor em outras línguas. Ao fazermos isto, estaremos Adorando a Deus de forma sobrenatural, cantando com o espírito. Assim sendo, a oração em outras línguas deve também estar presente em nossa prática diária de adoração ao Senhor.

Conclusão:

Existem outros benefícios da prática contínua da oração em línguas, que certamente ao meditar mais sobre este assunto o Espírito Santo lhe revelará. Porém, estes já são suficientes para que você possa se animar para dar início a esta prática diária. Além de nos manter cheios do Espírito, a oração em outras línguas vai construindo os planos que Deus tem para nossa vida e faz de você um canal perfeito de intercessão. Então não deixe de desfrutar desses e outros benefícios em sua vida particular de oração.
Seja abençoado na prática desta Palavra!