domingo, 10 de junho de 2012

Ligado à videira


Há um crescente número de “crentes” que possuem a sua própria maneira de seguir a Yeshua. Já escrevi algo sobre esse assunto em “Se alguém quiser me seguir”. É notório que existe uma bilateralidade relativa a alguma aliança, afinal, sempre haverá duas partes envolvidas e as duas partes precisam cumprir o acordado. Por exemplo: Yeshua estava no Pai e o Pai nele. Isso fazia dele e o Pai, um! Ele mesmo disse que se alguém obedecer à sua Palavra, Ele e o Pai virão e farão morada neste indivíduo. A prova cabal de amor por Yeshua é obedecer à sua Palavra, cumprir os seus mandamentos. (João 14:15).

Dentre as posturas desse grupo que citei no primeiro parágrafo, quero destacar neste texto aqueles que acham que podem estar conectados à Yeshua (videira), sem ser videira ou não querendo receber o alimento que a videira oferece e aqueles que na verdade se dizem frutos da videira, mas não estão ligados à videira.

Quero fazer algumas comparações: A videira é Yeshua, o cacho é a Igreja (congregação) e as uvas são os frutos, ou seja, algo que naturalmente cresce de uma planta. Não existe vida fora de Yeshua, nem para a igreja, muito menos para os homens. Só recebemos a seiva quando estamos ligados à árvore e, as uvas estão ligadas à videira por meio do cacho. Eu ainda estou para ver uma uva ligada diretamente ao galho, sozinha, desagregada de algum cacho. O ramo precisa frutificar, ou seja, gerar novos cachos repletos de uvas.

A questão é: Como a uva que está fora do cacho pode estar de alguma forma ligada à videira? Yeshua disse: Permaneçam em mim e eu permanecerei em vocês (Jo. 15:4). Nós somos os ramos, os galhos que saem de Yeshua, estamos ligados a ele e precisamos gerar cachos repletos de uvas que precisam continuar conectadas à videira, para assim receberem a seiva, a Palavra que nos limpa e nos mantém vivos.

Nenhum ramo pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Vocês também não podem dar fruto se não permanecerem em mim (v. 4).

O próprio Yeshua disse que qualquer um que não permanecer nele é como o ramo que é jogado fora e por essa razão seca. Esses ramos são juntados, lançados ao fogo e queimados. Sendo assim, não podemos conceber o fato de deixar de estarmos ligados ao restante do corpo. Não é possível que sejamos uma uva fora do cacho, da videira de Yeshua. Tem que haver unidade no corpo. Não dá para fazer parte do corpo sem estar no corpo. Qualquer membro do seu corpo que for desligado dele morrerá. Então não podemos achar que “eu não vou a igreja, mas eu não deixo Jesus de lado” ou “a igreja não presta, mas eu continuo crendo em Jesus. Eu oro, eu leio a bíblia, eu canto louvores...”. Quanto a isso a bíblia diz em Hb. 10.25: “Não descuidemos os nossos deveres na igreja, nem as suas reuniões, como algumas pessoas fazem, mas animemo-nos e nos admoestemos uns aos outros, especialmente agora que o dia da sua volta está se aproximando” (Hb. 10:25). A bíblia diz que isso era hábito para alguns e a bíblia condena este hábito. Ela fala que devemos exortar uns aos outros e nos animar... ou seja fala que devemos estar ligados ao corpo para estarmos aquecidos, alimentados, fortalecidos.

Em Ezequiel 37, o relato sobre o Vale de Ossos Secos diz que eles eram referências à toda a casa de Israel. O Espírito do Senhor só foi liberado sobre eles, quando cada osso foi juntado ao seu devido lugar, então os tendões os ligaram e a carne os cobriram. Existe uma congregação dos que são filhos do Senhor, precisamos estar conectados. Não há desculpas para não congregarmos, para não estarmos juntos com as outras uvas, recebendo a mesma seiva e glorificando ao agricultor com os nossos frutos.
Que Adonai os abençoe,

Pr. Alex Reinaldo
Ministério Redenção em Cristo

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Como Jesus fez eu devo fazer


Há uma dimensão que só pode ser alcançada por aqueles que confiam. Tal dimensão nos faz andar como Jesus andou e ser como Ele. Para muitos crentes (que em nada creem) essa é uma afirmativa um tanto absurda e até mesmo herege. Mas o próprio Jesus disse que faríamos as mesmas coisas que Ele fez e ainda faríamos coisas consideradas maiores do que as que Ele fez. A condição? Confiarmos nele. Assim como quando confiamos nele, a Palavra diz que sai de nosso interior um rio de águas vivas (ou seja, que produzem vida – vide Ez. 47).

O problema é que nosso ponto de vista sobre nós mesmos nos considera inferiores e incapazes. Um nítido sinal de falta de fé. Aliás, ele precisa ser edificada através da oração no espírito e da leitura da Palavra. Mas ao invés disso, deixamos que os ensinos de homens, do mundo e da própria ‘congregação’ que, muitas vezes, não é Igreja, entrem em nossos corações, podendo alguns até mesmo dizer “somos homens vazios, sem rumo...”, mas eu digo: somos filhos do Altíssimo, cheios do Espírito Santo, guiados pelo Espírito de Deus.

Os discípulos de Jesus confiaram nele (como devemos fazer) e entenderam a autoridade e poder que Jesus os dera. Eles realizaram sinais e maravilhas em todos os lugares em que estiveram. Mas Jesus fez tantas coisas que o João disse que se fossem todas relatadas não conteriam nos livros desse mundo. Os discípulos não são o nosso exemplo. Jesus é nosso exemplo e modelo. Afinal, Ele foi o primeiro Gerado.

Nós também, como filhos, precisamos olhar para o irmão mais velho, para aquele de quem o Pai disse: “Nesse filho eu tenho prazer”. Ele tem que ser nosso modelo. E se Ele, o próprio nos disse que poderíamos fazer só você mesmo pode se deter. O mundo está ansioso para ver a glória de Deus manifesta nos seus filhos. O mundo está desejoso por ver Jesus! Quantas vezes dizemos “Cristo vive em mim”? Será isso real? Ou ele está trancado num quartinho dentro de você?! Quando o FILHO habita em nós, Ele precisa estar visível. Temos que mostrar Jesus, temos que pregar Jesus! Isso só é possível quando andamos da maneira que Ele andou. Ele nos discipulou e nos ensinou tudo o que deveríamos ser e fazer!
Nosso maior erro é achar que a nossa ‘humanidade’ pode parar Jesus, mas nos esquecemos de que Jesus era humano. A Palavra diz que Ele veio em forma humana. Todos os sinais e maravilhas que Jesus operou, foram realizados na sua forma humana e, na minha forma humana eu posso fazer muito mais agora que tenho o Espírito Santo.

Ainda há esse diferencial: nenhum dos discípulos que estiveram com Jesus àquela ocasião, durante aqueles quase 3 anos, tinham o Espírito Santo. O Espírito Santo ainda não havia sido derramado e além disso, nenhum deles eram nova criatura. Afinal, Jesus ainda não havia sido morto. Bom, qual é a nossa desculpa hoje? Somos Nova Criatura, Cristo vive em nós e temos o Espírito Santo. O que nos impede de fazer as mesmas coisas e ainda maiores do que Jesus fez?

Igreja! Precisamos ter ATITUDE!!! Precisamos fazer o que está no coração do Pai! Para isso fomos chamados e ungidos! Não podemos acessar o Pai se negarmos o Filho! Precisamos confessá-lo. Confissão é reconhecimento. Se o confessamos como Senhor e como Salvador, precisamos andar da maneira como Ele andou e, como discípulos fazer as mesmas coisas que Ele fez, e continuarmos a fazer discípulos.

Referências:
Em verdade, em verdade vos digo: Aquele que crê em mim, esse também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas; porque eu vou para o Pai; (Joã 14:12)

Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus. Mas qualquer que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai, que está nos céus. (Mat 10:32-33)

A natureza criada aguarda, com grande expectativa, que os filhos de Deus sejam revelados. (Rom 8:19)

Pr. Alex Reinaldo
Ministério Redenção em Cristo