terça-feira, 26 de julho de 2011

Busque em primeiro lugar, o Reino

Crescemos em um meio social, onde somos incentivados a disputar o tempo todo e a sermos os melhores em tudo. Fazer a melhor faculdade, ter o melhor emprego, um ótimo salário, os melhores e mais renomados cursos, um bom relacionamento, um bom carro e etc. Biblicamente, não existe nada de errado em querer ter o melhor de tudo, ao contrário, através do profeta Isaias Adonai disse: “...se quiseres e fores OBEDIENTE, vocês comerão os melhores frutos da terra” (Is. 1:19). Existe um desejo explícito de Adonai em abençoar seu povo, seus filhos. Todo Pai quer sempre dar o melhor para o seu filho. Mas diferente dos pais convencionais, nosso Pai Celeste não quer que tenhamos o melhor para sermos independentes. Muito ao contrário, Ele quer que sempre sejamos dependentes dele. No Reino de Deus, isso funciona diferente do sistema desse mundo onde vivemos. Porque quanto mais dependente do Pai, mais do melhor temos.
Isso nos leva a refletir sobre nossas prioridades. Nossos pais nos ensinam a crescer na vida. Minha mãe costumava usar muito esse termo: “você tem que ser alguém na vida”. Definitivamente EU SOU alguém na vida, porque sou tudo o que a Palavra de Adonai diz que eu sou. Mas voltando a falar sobre prioridades: Yeshua nos ensinou o contrário do que somos ensinados nesse mundo. Ele nos ensinou a buscar como PRIORIDADE ao nosso Pai Celeste e as coisas inerentes ao seu reinado, ao seu governo, ao seu REINO. Eu sempre digo: Se vamos passar a eternidade junto com o Pai, porque investimos tanto tempo nas coisas desse mundo, numa rotina de vida terrestre e não investimos com prioridade nas coisas do Reino de Deus?
Se plantar no terreno da sua natureza humana, desse terreno colherá a morte. Porém, se plantar no terreno do Espírito de Deus, desse terreno colherá a vida eterna. (Gál 6:8)
Não que não tenhamos que investir em coisas aqui, afinal, estamos aqui. Precisamos nos alimentar, nos vestir, desfrutar da vida abundante que Yeshua nos garantiu. Mas a questão é a inversão de valores. A falta de priorizar as coisas daquele que nos veste, que nos alimenta, que nos dá vida abundante. A falta de prioridade com as coisas daquele a quem chamamos “Senhor”. Ora, se não tenho sido obediente a seus mandamentos, de fato, ele não tem sido “Senhor” na minha vida. E ainda, assim, Yeshua diz que o nosso modo de viver é “priorize as coisas do Pai Celeste e Ele dará as coisas que vocês precisam para viver aqui”. Não foi isso mesmo o que aconteceu com Yeshua? Quando vocês viram Yeshua uma só vez preocupado com o que vestir, com o que comer, com onde repousar? Yeshua precisava pagar imposto e invocava dinheiro. Yeshua precisava de alimentar e multiplicava pão. Até no casamento ele providencia vinho para que os noivos não ficassem em apuros. Tudo isso porque Ele estava alinhado com a Palavra do Deus Vivo. Yeshua tinha como meta prioritária o REINO. Por esta razão, o Pai Celeste lhe providenciava tudo o que fosse necessário para a sua vida aqui na Terra.
Por diversas vezes estamos tão acometidos de afazeres desse mundo, que envolvem o trabalho, a educação dos filhos, os cursos, a escola, os deveres domésticos, as obrigações econômicas e etc., que simplesmente esquecemos que somos de outro Reino. Acabamos nos esquecendo de que somos estrangeiros aqui. Não somos desse mundo! Toda a nossa fonte de vida, a nossa fonte de sustento, a nossa fonte de alegria, a nossa satisfação, a nossa origem, está em Deus e, não aqui!
Agora, existe o contrário também: aqueles que estão alinhados com Yeshua e priorizando o Reino de Deus e, por conta disso, recebem críticas e pressões do mundo. Mas eu digo: se preocupe em agradar a Deus, não aos homens. Se você estiver obedecendo a Deus, isso é o que importa. Yeshua morreu por você. Adonai enviou seu filho por amor a você. Não é a sua faculdade, a sua escola, o seu trabalho, os seus filhos, sua casa, seu carro ou qualquer outra coisa deste mundo, que vão te garantir a vida eterna.
Lembro-me das palavras de Iyov (Jó): “nu vim para este mundo e nu voltarei” (Jó 1:21); Lembro-me também que Yeshua certa vez entrou em uma vila e foi recebido por Myriam, que assentou-se a seus pés e ficou desfrutando da presença e das palavras do mestre. Aquilo incomodou Marta, porque ela estava preocupada com a casa, com a louça, com a poeira nos móveis, com lavar o quintal. Marta foi reclamar com o mestre e recebeu uma resposta: “Marta, você está preocupada e inquieta com muitas coisas, mas nenhuma delas é a essencial. Myriam escolheu a melhor parte” Lc. 10:38-42
Amados, precisamos estar aos pés de Yeshua, ouvindo suas Palavras, desfrutando seus mandamentos. Essa é a melhor parte. Yeshua sabe que precisamos de alimento, de roupas, de bens, de amigos, de descanso e Ele mesmo nos providencia tudo o que nos é necessário. Tudo que Ele quer é que sejamos dependente dele. Tudo o que devemos fazer é priorizá-lo! Honre ao Senhor e Ele vai te honrar também.
Portanto, ponham em primeiro lugar na sua vida o Reino de Deus e aquilo que Deus quer, e ele lhes dará todas essas coisas.
(Mat 6:33)
Ou você confia 100% em Yeshua, ou não confia! Não existe 10, 15 ou 99% de confiança. Confiança é 100% ou nada!

sábado, 16 de julho de 2011

A confiança que excede as circunstâncias


Seja Deus verdadeiro, e todo homem mentiroso. Como está escrito: "De modo que são justas as tuas palavras e prevaleces quando julgas". (Rm. 3:4)

Como filhos que confiam no seu Pai, temos que entender que as Suas palavras tem muito mais peso, poder, influência e utilidade, do que as palavras de qualquer outro deus. Nós não somos órfãos. Nós temos um Pai e, esse deseja que confiemos plenamente nEle.
Mas o que normalmente acontece, com a maioria dos que afirmam ser crentes, é que eles creem menos no Seu Pai, do que nas circunstâncias a sua volta. Creem mais no que o Acusador diz, do que naquilo que Seu Pai diz. Eles vivem um sistema e padrão adâmico, um sistema desse mundo, onde o que as pessoas que não conhecem o Pai, ditam o que eles são. Mas então onde fica o que o Pai diz sobre nós e aquilo no que Ele nos torna através de Yeshua?
Ninguém conhece o filho melhor do que o Pai. Da mesma forma, o filho deveria conhecer muito bem o seu Pai. Quando isso acontece, temos plena confiança em nosso Pai e sabemos que Ele é verdadeiro nas suas Palavras e não falha. Que razão nos resta para darmos mais ouvidos a outras palavras e julgamentos sobre nós, que não a Palavra do próprio Pai? O texto de Rm. 3:4 diz que as suas palavras são justas e que Ele prevalece no seu julgamento. E mais ainda: “que o homem seja considerado mentiroso em razão de Deus ser verdadeiro”.
Vamos falar rapidamente sobre o Apóstolo Paulo. Todos sabem que ele, antes de ser converter, foi assassino. Paulo deve ter matado centenas de cristão, ou ao menos dado ordem para que seus liderados o fizessem. Veja o que o Apóstolo disse em uma das suas cartas: “pois sou o menor dos apóstolos e nem sequer mereço ser chamado apóstolo, porque persegui a igreja de Deus” (1Co 15:9). Essa é uma afirmação de um homem que lutava com suas culpas, um homem cujo coração devia acusa-lo constantemente. Um homem que devia viver dia após dia, sendo lembrado de seus atos inescrupulosos, cometidos contra Deus. Mas o que Paulo havia cometido, não definia o que ele era para Deus. Amen? Ele mesmo continua e afirma: “Mas, pela graça de Deus, sou o que sou, e sua graça para comigo não foi em vão; antes, trabalhei mais do que todos eles; contudo, não eu, mas a graça de Deus comigo” (1Co 15:10). Paulo confiava na graça do Pai e ele mesmo afirmou: “tua graça me é suficiente” 2 Cor. 12:9

Confiar no julgamento de Deus acerca de mim é confiar nele acima das circunstâncias. Você está passando alguma necessidade? A Palavra do Pai diz que em Yeshua todas as nossas necessidades já foram supridas. Você está enfermo? A Palavra do Pai diz que Yeshua levou nossas dores e enfermidades. Você está inquieto, sem paz? A Palavra do Pai diz que Yeshua nos deu paz.
Ou você acredita na Palavra de Deus ou você acredite nas circunstâncias ao Seu redor. Só quero reafirmar para você: “Deus é verdadeiro! Seu julgamento prevalece! Suas Palavras não passarão”.

Pense sobre isso: “Eu estou lutando contra isso, mas isso não é o que eu sou. Estou lutando com a lascívia, com a falta de santidade, lutando contra minha auto-imagem, mas isso não é o QUE EU SOU. Não foi essa forma que Deus me criou. Ele não me vê ‘na minha luta’...Ele me vê como seu filho”

terça-feira, 12 de julho de 2011

Culto de Celebração da Vitória

Graça e paz a todos,

Neste final de semana (9 e 10.julho), estivemos nas cidades de Itaocara e Santo Antônio de Pádua-RJ. Foram dois dias de bençãos, onde tivemos a oportunidade de ministrar louvor e a Palavra. Fizemos algumas visitas a irmãos, oramos por eles, aconselhamos, ministramos renovo da parte do Pai.
No primeiro dia, o Ministro Anderson Guedes, ministrou sobre "Os três grupos que seguiam a Yeshua". No segundo dia, o Ministro Alex Reinaldo, ministrou sobre "As diferenças entre a Igreja estabelecida por Yeshua e a igreja de hoje" e, a noite, o encerramento se deu com o Pastor Ricardo, ministrando sobre cura e fé.
Que o Senhor abençoe a todos na comunidade onde estivemos, bem como os seus pastores e obreiros, em nome de Yeshua Hammashiach.


quarta-feira, 6 de julho de 2011

Breve explicação sobre as nomenclaturas utilizadas por nós

Nomes não sofrem tradução!
Mas onde estão as vogais?

No hebraico arcaico, mais antigo, não existiam vogais na escrita, de forma nenhuma. Apenas as pessoas aprendiam o som de cada palavra e inseriam na leitura o som das vogais destas palavras. Repetindo: os sons de vogais existiam, é claro, mas não havia representação escrita destes sons, senão apenas das consoantes das palavras.

Imagine que você, desde o início de sua alfabetização, tenha aprendido a escrever a palavra "computador" assim: "CMPTDR". Então quando você encontrasse esta palavra "CMPTDR" num texto, você leria em voz alta "COMPUTADOR", inserindo todas as vogais que não estariam presentes na escrita.

Assim era o hebraico arcaico até a época dos massoretas. A partir deste grupo denominado massoretas, houve uma preocupação de que o hebraico pudesse ser esquecido totalmente e ninguém mais soubesse como se pronunciavam as palavras. Foi então criado um sistema de sinais, chamados de "SINAIS MASSORÉTICOS", para indicar e memorizar as vogais no idioma hebraico, de modo que a perda da cultura, que eles temiam, não acontecesse.

Desta feita, o hebraico moderno conta com um sistema de sinais massoréticos com a finalidade de indicar a pronúncia das vogais. Tal sistema, se por um lado ajudou a preservar a pronúncia original das palavras, por outro foi um terrível instrumento de corrupção, uma vez que uma utilização errada de tais sinais, perpetuaria o erro para todas as gerações futuras. Mais adiante falaremos sobre alguns exemplos destes.

Adon = Senhor / Adonai = plural... “Meu Senhor”. A tradição judaica utiliza a palavra Adonai em substituição ao Santo Nome, por medo de tomarem-no em vão. Somente o Kohen Gadol podia pronunciar esse nome durante o Yom Kippur. Então quando os judeus leem a Torá, eles não se preocupam em vocalizar YHVH, mas dizem Adonai, no lugar. Quando não estão lendo a Torá simplesmente se referem como HaShem (o nome). Em hebraico é chamado de Shem HaMeforash, "nome inefável”.

Yeshua = O Senhor Salva (nome do Filho de Elohim, que "conhecemos" por Jesus)

Elohim = אלהים plural de el-o-ah, divindade. É a forma prolongada de אל El (força, poder, Todo-Poderoso, deus). Nome atribuído a Deus como criador do Universo.

Yehovah = na visão judaica tradicional esse nome é usado para expressar o Todo-Poderoso como misericordioso.

Deus (subst.. masculino) do grego θεός theos. Divindade, entidade, ser autoexistente.

Adonai Elohim = Senhor Deus

"The Holy One, Blessed be He, said to those, You want to know my name? I am called according to my actions. When I judge the creatures I am Elohim, and when I have mercy with My world, I am named YHWH" (Exodus Rabbah 3:6).

Por entendermos que Yeshua é o nome que foi dado entre os homens, para o Filho de Deus (Criador), utilizamos esse nome, porque temos esse conhecimento, linguístico e histórico. Assim sendo, procuramos tanto pronunciá-lo corretamente. Esse nome foi para o grego como Iesous e dai, chegou como Jesus em português, depois de passar por latim e inglês. Você pode notar que mesmo no português, no inglÊs e espanhol, cuja grafia é a mesma (Jesus) ainda assim a pronúncia é diferente. Por isso preferimos ficar com o original. Muitas vezes colocamos Yeshua seguido de (Jesus).


Um dia toda lingua confessará e todo joelho vai se dobrar, diante de Yeshua, que é Adonai!!!

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Atos religiosos x Jesus

Estamos em uma jornada de descoberta. Todos nós estamos aprendendo coisas novas todos os dias, como se conectar a pessoas com o espírito. Devemos continuar a afiar uns aos outros como o ferro afia o ferro. A Bíblia diz: "Se você não aguçar o seu machado, o golpe exigirá mais força" Ecl. 10:10
Devemos ter cuidado para não estarmos presos no ambiente antigo de sacrifícios de animais e legalismo, sentado no assento de Moisés. Há uma Aliança Superior disponível.

Vemos as pessoas gastando tempo com práticas religiosas, como o homem no tanque de Betesda. Eles não olham para Jesus. Eles não se preocupam com o benefício que Jesus deu ao homem. Mas eles se preocupam com uma prática religiosa.

"Não importa se você é circuncidado ou não. Tudo o que importa é ser uma nova pessoa". (Gál 6:15)

Jesus é mais do que um Salvador. Ele é o Rei dos Reis. A nova aliança é melhor do que a antiga. O velho é obsoleto, morto. Na Escola de Cura também pregamos sobre os benefícios da nova aliança.
Os judeus odiavam Jesus porque ele curou no Shabbat. Eles amavam o Shabbat mais do que a cura de seus irmãos! Hoje há muitas pessoas da mesma maneira. Eles preferem a religiosidade mais do que Jesus. Jesus foi ungido para curar os cegos, os coxos e os cativos e oprimidos libertar. A pergunta que devemos fazer é a mesma pergunta Jesus perguntou ao homem coxo: "você quer ser curado?".
Enquanto Jesus pergunta "Você quer ser curado?", os religiosos e legalistas perguntar "quem curou no Shabbat?". Este é o mesmo problema que temos hoje. dois grupos de pessoas: um feliz com a velha ordem, com um sistema morto e o outro que abraça a nova aliança. O grupo do antigo sistema, o religioso, com o vinho velho e conteúdo antigo, e o grupo que recebeu as novidades de Jesus. Mas em vez de receber o novo de Jesus, após todos estes anos, apóstolos ainda estão lutando com este grupo. Eles se auto-denominam apóstolos, mas eles se sentam na cadeira de Moisés.
Vinho novo se derrama somente em odre novo!
We are on a journey of discovery. We are all learning new things everyday as we connect to like minded people. We must keep on sharpening one another as iron sharpens iron. 
The bible says "If you don't sharpen your ax, it will be harder to use"...
We must be careful not to be stuck in the old environment of animal sacrifices and legalism, sitting in the seat of Moses. There is a better covenant available.
 
We find people spending time with religious practices, like the man on the pool of Bethesda. They don't look at Jesus. They don't care about the benefit that Jesus gave to the man. But they care about a religious practice. 
"It doesn't matter if you are circumcised or not. All that matters is that you are a new person". (Gál 6:15)
 
Jesus is more than a Saviour. He is King of all Kings. The new covenant is better than the old. The old is obsolete, dead. In the Healing School we also preach about the benefits of the new covenant.
The Jews hated Jesus because he healed on the Shabbat. They loved the Shabbat more than the healing of their brothers!! Today there are many people in the same way. They prefer the religiousness more than Jesus. Jesus was anointed to heal the blind, to deliver the lame and the oppressed and set captives free. The question we must ask is the same question Jesus asked the lame man "do you want to be made well?"
As Jesus ask "Do you want to be made well?", the religious and legalist ask "who healed on shabbat?"
This is the same problem we have today. There are 2 groups of people: one happy with the old order, a dying system and the other who have embraced the new covenant. The group of the old system, the religious, with the old wine and old content, and the group that received new things from Jesus. But instead of receive the new from Jesus, after all these years apostles are still struggling with this group. They even call themselves apostles but they sit in Moses seat.

Transmitindo vida

[...] Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida [...] 1 JOÃO 5.11,12
Jesus disse: "Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura... E estes sinais seguirão aos que crerem..." (Mc 16.15b,17a).
Um dos sinais que, segundo Jesus, acompanhariam aqueles que crêem é: E imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão (Mc 16.18c).

Por quê? Porque a vida de Deus está nos cristãos!
Às vezes, algumas pessoas recebem uma unção especial para administrar a cura, mas não é a respeito disso que Marcos 16 fala! Todo cristão nascido de novo tem a vida de Deus, a natureza de Deus, e, mediante a imposição das mãos, aquela vida pode ser transmitida aos outros.
É por isso que você deve impor as mãos sobre os enfermos. Quando você procede assim, a vida de Deus que habita em seu interior é transmitida ao próximo por meio de suas mãos. Muitas vezes, você terá consciência daquela vida que flui de você para as outras pessoas. Você tem a vida de Deus! Deus é Aquele que cura. Exerça a autoridade divina! Uma das formas pelas quais Deus opera é através das suas mãos. Deus não está, fisicamente, aqui na Terra, mas Ele está em você pelo Seu Espírito!
Confissão: "Eu creio que a vida de Deus está em mim. Deus é Aquele que cura. Imponho as mãos sobre os enfermos, e eles ficam curados".