quarta-feira, 6 de julho de 2011

Breve explicação sobre as nomenclaturas utilizadas por nós

Nomes não sofrem tradução!
Mas onde estão as vogais?

No hebraico arcaico, mais antigo, não existiam vogais na escrita, de forma nenhuma. Apenas as pessoas aprendiam o som de cada palavra e inseriam na leitura o som das vogais destas palavras. Repetindo: os sons de vogais existiam, é claro, mas não havia representação escrita destes sons, senão apenas das consoantes das palavras.

Imagine que você, desde o início de sua alfabetização, tenha aprendido a escrever a palavra "computador" assim: "CMPTDR". Então quando você encontrasse esta palavra "CMPTDR" num texto, você leria em voz alta "COMPUTADOR", inserindo todas as vogais que não estariam presentes na escrita.

Assim era o hebraico arcaico até a época dos massoretas. A partir deste grupo denominado massoretas, houve uma preocupação de que o hebraico pudesse ser esquecido totalmente e ninguém mais soubesse como se pronunciavam as palavras. Foi então criado um sistema de sinais, chamados de "SINAIS MASSORÉTICOS", para indicar e memorizar as vogais no idioma hebraico, de modo que a perda da cultura, que eles temiam, não acontecesse.

Desta feita, o hebraico moderno conta com um sistema de sinais massoréticos com a finalidade de indicar a pronúncia das vogais. Tal sistema, se por um lado ajudou a preservar a pronúncia original das palavras, por outro foi um terrível instrumento de corrupção, uma vez que uma utilização errada de tais sinais, perpetuaria o erro para todas as gerações futuras. Mais adiante falaremos sobre alguns exemplos destes.

Adon = Senhor / Adonai = plural... “Meu Senhor”. A tradição judaica utiliza a palavra Adonai em substituição ao Santo Nome, por medo de tomarem-no em vão. Somente o Kohen Gadol podia pronunciar esse nome durante o Yom Kippur. Então quando os judeus leem a Torá, eles não se preocupam em vocalizar YHVH, mas dizem Adonai, no lugar. Quando não estão lendo a Torá simplesmente se referem como HaShem (o nome). Em hebraico é chamado de Shem HaMeforash, "nome inefável”.

Yeshua = O Senhor Salva (nome do Filho de Elohim, que "conhecemos" por Jesus)

Elohim = אלהים plural de el-o-ah, divindade. É a forma prolongada de אל El (força, poder, Todo-Poderoso, deus). Nome atribuído a Deus como criador do Universo.

Yehovah = na visão judaica tradicional esse nome é usado para expressar o Todo-Poderoso como misericordioso.

Deus (subst.. masculino) do grego θεός theos. Divindade, entidade, ser autoexistente.

Adonai Elohim = Senhor Deus

"The Holy One, Blessed be He, said to those, You want to know my name? I am called according to my actions. When I judge the creatures I am Elohim, and when I have mercy with My world, I am named YHWH" (Exodus Rabbah 3:6).

Por entendermos que Yeshua é o nome que foi dado entre os homens, para o Filho de Deus (Criador), utilizamos esse nome, porque temos esse conhecimento, linguístico e histórico. Assim sendo, procuramos tanto pronunciá-lo corretamente. Esse nome foi para o grego como Iesous e dai, chegou como Jesus em português, depois de passar por latim e inglês. Você pode notar que mesmo no português, no inglÊs e espanhol, cuja grafia é a mesma (Jesus) ainda assim a pronúncia é diferente. Por isso preferimos ficar com o original. Muitas vezes colocamos Yeshua seguido de (Jesus).


Um dia toda lingua confessará e todo joelho vai se dobrar, diante de Yeshua, que é Adonai!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário