sábado, 16 de julho de 2011

A confiança que excede as circunstâncias


Seja Deus verdadeiro, e todo homem mentiroso. Como está escrito: "De modo que são justas as tuas palavras e prevaleces quando julgas". (Rm. 3:4)

Como filhos que confiam no seu Pai, temos que entender que as Suas palavras tem muito mais peso, poder, influência e utilidade, do que as palavras de qualquer outro deus. Nós não somos órfãos. Nós temos um Pai e, esse deseja que confiemos plenamente nEle.
Mas o que normalmente acontece, com a maioria dos que afirmam ser crentes, é que eles creem menos no Seu Pai, do que nas circunstâncias a sua volta. Creem mais no que o Acusador diz, do que naquilo que Seu Pai diz. Eles vivem um sistema e padrão adâmico, um sistema desse mundo, onde o que as pessoas que não conhecem o Pai, ditam o que eles são. Mas então onde fica o que o Pai diz sobre nós e aquilo no que Ele nos torna através de Yeshua?
Ninguém conhece o filho melhor do que o Pai. Da mesma forma, o filho deveria conhecer muito bem o seu Pai. Quando isso acontece, temos plena confiança em nosso Pai e sabemos que Ele é verdadeiro nas suas Palavras e não falha. Que razão nos resta para darmos mais ouvidos a outras palavras e julgamentos sobre nós, que não a Palavra do próprio Pai? O texto de Rm. 3:4 diz que as suas palavras são justas e que Ele prevalece no seu julgamento. E mais ainda: “que o homem seja considerado mentiroso em razão de Deus ser verdadeiro”.
Vamos falar rapidamente sobre o Apóstolo Paulo. Todos sabem que ele, antes de ser converter, foi assassino. Paulo deve ter matado centenas de cristão, ou ao menos dado ordem para que seus liderados o fizessem. Veja o que o Apóstolo disse em uma das suas cartas: “pois sou o menor dos apóstolos e nem sequer mereço ser chamado apóstolo, porque persegui a igreja de Deus” (1Co 15:9). Essa é uma afirmação de um homem que lutava com suas culpas, um homem cujo coração devia acusa-lo constantemente. Um homem que devia viver dia após dia, sendo lembrado de seus atos inescrupulosos, cometidos contra Deus. Mas o que Paulo havia cometido, não definia o que ele era para Deus. Amen? Ele mesmo continua e afirma: “Mas, pela graça de Deus, sou o que sou, e sua graça para comigo não foi em vão; antes, trabalhei mais do que todos eles; contudo, não eu, mas a graça de Deus comigo” (1Co 15:10). Paulo confiava na graça do Pai e ele mesmo afirmou: “tua graça me é suficiente” 2 Cor. 12:9

Confiar no julgamento de Deus acerca de mim é confiar nele acima das circunstâncias. Você está passando alguma necessidade? A Palavra do Pai diz que em Yeshua todas as nossas necessidades já foram supridas. Você está enfermo? A Palavra do Pai diz que Yeshua levou nossas dores e enfermidades. Você está inquieto, sem paz? A Palavra do Pai diz que Yeshua nos deu paz.
Ou você acredita na Palavra de Deus ou você acredite nas circunstâncias ao Seu redor. Só quero reafirmar para você: “Deus é verdadeiro! Seu julgamento prevalece! Suas Palavras não passarão”.

Pense sobre isso: “Eu estou lutando contra isso, mas isso não é o que eu sou. Estou lutando com a lascívia, com a falta de santidade, lutando contra minha auto-imagem, mas isso não é o QUE EU SOU. Não foi essa forma que Deus me criou. Ele não me vê ‘na minha luta’...Ele me vê como seu filho”

Nenhum comentário:

Postar um comentário