sexta-feira, 30 de março de 2012

Dignos! Sim ou não?


Muitas vezes oramos e dizemos coisas que nem sempre estão alinhadas à Palavra. Já se pegou nessa situação? Isso acontece por ‘tradição’ (costume) ou simplesmente por falta de conhecimento (Mt. 22.29).

Coisas do tipo: “Senhor, se for da tua vontade, cure aquele irmão de sua enfermidade”, quando a Palavra já expressa claramente e inúmeras vezes, a vontade de Deus, no que diz respeito à cura. Eu poderia ir mais além: “Senhor! É tua vontade que eu perdoe aquele irmão que me fez esse mal tão grande?” - quando a Bíblia é clara em relação às questões de perdão.

Então, que história é essa de não sermos dignos de estar na presença do Pai? Muitos de nós oramos assim, não é? “Pai! Não sou digno de olhar para ti, falar contigo, estar onde tu estás”. Que tipo de filhos vocês são? E que classe de pai ele é? Aliás, trazendo à memória uma história de pai e filho, percebo que foi exatamente isso o que aquele garoto (o pródigo) disse para o seu pai. Mas, noto que o pai não ‘concordou’ com suas declarações. Ele deu vestes novas e limpas, sandálias, anel, deu um grande buffet e mandou convidar todos para se alegrarem com ele.

Ora, meus queridos, vamos pensar um pouco. Se o sangue de Cristo não é suficiente para te restabelecer com o Pai, o que é então? Se o sacrifício de Yeshua não te torna apto a estar novamente conectado com o Criador, o que pode então fazer isso? Esses tipos de afirmações ignorantes (daquele que não tem conhecimento ou ignora) colocam sobre muitos um jugo, um peso de acusação enorme que, com toda certeza, não vem do Pai. Pai que é pai ama os seus filhos e, os filhos, por sua vez, desejam estar com o pai. Essas afirmações poderiam até fazer algum sentido sob a Antiga Aliança, mas não é o que se refere na nova.

Primeiro, quero destacar o que Paulo diz em uma de suas cartas:

NÃO HÁ nenhuma condenação aguardando aqueles que pertencem a Cristo Jesus (aos que estão unidos a ele). (Rm 8:1)

Se não há condenação esperando por mim, não existe nada que me impeça de chegar a Ele.
A única coisa que nos torna indignos de comunhão com o Pai é o pecado e, foi exatamente para resolver isso que Yeshua foi morto. Não havendo condenação pelo pecado, não existe separação com o Pai. Essa é a nossa convicção em Cristo.

Vejam! O braço do Senhor não está tão curto que não possa salvar, e o seu ouvido tão surdo que não possa ouvir. Mas as suas maldades separaram vocês do seu Deus; os seus pecados esconderam de vocês o rosto dele, e por isso ele não os ouvirá. Pois as suas mãos estão manchadas de sangue, e os seus dedos, de culpa. Os seus lábios falam mentiras, e a sua língua murmura palavras ímpias. (Isa 59:1-3)

Por mais fundas e feias que sejam as manchas dos pecados que vocês cometeram, Eu posso limpar essas manchas completamente! Vocês ficarão limpos e brancos como a neve que acabou de cair. Mesmo que os seus pecados sejam vermelhos como sangue, Eu os deixarei brancos como cal! Se ao menos vocês Me deixassem ajudar, se ao menos vocês Me obedecessem, poderiam viver, ricos e felizes, na terra. (Isa 1:18-19)

Quem poderá subir o monte do Senhor? Quem poderá entrar no seu Santo Lugar? Aquele que tem as mãos limpas e o coração puro... Ele receberá bênçãos do Senhor, e Deus, o seu Salvador lhe fará justiça. (Slm 24:3-5)

O Novo Testamento, diversas vezes nos afirma que podemos sim buscar, entrar e permanecer na presença do Pai, pois o sangue de Yeshua nos purifica de todo e qualquer pecado. A única condição que nos afasta de Deus é o pecado, por conta da Sua santidade. Mas Yeshua afirmou que todo pecado será perdoado, exceto o de não dar ouvidos ao Espírito Santo, no seu ofício de te convencer do pecado.
“...todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada. Todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do homem será perdoado, mas quem falar contra o Espírito Santo não será perdoado, nem nesta era nem na era que há de vir. (Mat 12:31-32)

A bíblia nos dá outros textos mais explícitos sobre esse assunto:

Esta esperança segura de sermos salvos é para as nossas almas uma âncora forte e de confiança, que nos liga ao próprio Deus, do, outro lado do véu sagrado do céu, aonde Cristo penetrou à nossa frente para interceder por nós, valendo-se da sua situação de nosso Supremo Sacerdote, com a honra e da mesma classe que Melquisedeque. (Heb 6:19-20)

Yeshua foi o primeiro a romper o véu, ou seja a liberar o acesso direto ao Pai.
Portanto, visto que temos um grande sumo sacerdote que adentrou os céus, Yeshua, o Filho de Deus, apeguemo-nos com toda a firmeza à fé que professamos, (Heb 4:14)

Assim sendo, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade. (Heb 4:16)

Que o Senhor te abençoe,

Pr. Alex Reinaldo
Ministério Redenção em Cristo

Nenhum comentário:

Postar um comentário